Geoportal também é extensão!

No início deste ano, o Grupo Geoportal, orientado pelas professoras Júlia Righi, Cátia Martins e Tatiana Tavares abraçaram um novo desafio: um Projeto de Extensão que visa a educação ambiental de adolescentes das escolas públicas adjacentes à Universidade Federal de Juiz de Fora.

Universidades Federais e Projetos de Extensão

Pra quem não sabe, projetos de Extensão são parcerias entre a Universidades Federais, professores orientadores e estudantes da Instituição. O objetivo desta associação é levar o conhecimento produzido no meio acadêmico para a sociedade, resultando em maior qualidade de vida para a população. A UFJF declara, em seu site:


Imagem 1: fonte UFJF (2018)

"Os projetos e programas de Extensão estão voltados para a atuação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) na articulação entre o ensino, a pesquisa e as demandas da sociedade.

Programas, projetos e demais iniciativas têm o propósito de atuar para a comunidade e de também aprender com ela, no exercício contínuo de troca de saberes e de conhecimentos, buscando a aproximação, a parceria e a experiência enriquecedora deste encontro.”



Imagem 2: fonte UFJF (2018)

A PROEX é a responsável pela gestão dos programas de extensão da Instituição. Segundo o site da pró reitoria, a gerência conta com “534 programas e projetos de extensão em vigor e devidamente registrados, sendo 494 projetos e 40 programas.” Estes programas estão distribuídos pelas diversas Faculdades da Universidade, atendendo as ciências humanas, exatas, tecnológicas e da saúde.


O Projeto


Imagem 3: Participante do projeto Gabriela Nogueira, em aula sobre minerais

A Proposta de trabalho das professoras tem por título Popularização da Geotecnia Ambiental: Geologia, Solos, Resíduos, e atende os alunos do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual São Vicente de Paulo, do bairro Borboleta. São realizados encontros mensais com os jovens, onde são abordados assuntos de cunho geológico/geotécnico como minerais, rochas, solos, descarte de resíduos, gerenciamento de resíduos eletrônicos, entre outros.


Imagem 4: almanaques elaborados para utilização dos alunos

Após conversa e exposição de alguns conceitos fundamentais sobre o tema proposto, há execução de atividades práticas, como identificação dos materiais geológicos e quizzes em equipe. Os alunos também recebem uma revista com o conteúdo aprendido, para que possam utilizá-la como fonte de consulta posteriormente.

Segundo o edital, o Objetivo do projeto é promover a aproximação entre as comunidades acadêmica e escolar, além de familiarizar os alunos às temáticas referentes à educação ambiental. Para isso, serão utilizadas abordagens práticas dos assuntos, que conversem com a vivência dos alunos e sua comunidade, a fim de desenvolver o senso de pertencimento destes à sociedade, comunidade escolar e ambiente acadêmico. Por outro lado, visa-se também desenvolver nos discentes integrantes o senso de aprendizagem por problemas e exercício da didática através da confecção de materiais com ações multidisciplinares e multiprofissionais.

Premiações e Publicações


Imagem 5: Premiação do Festival Bela, Cientista e do Bar

Em março deste ano, ocorreu o Evento Bela, Cientista e do Bar no Bistrô Arteria, em Juiz de Fora. Uma das programações do evento foi o festival de Divulgação Científica, onde mulheres estudantes da graduação, mestrado ou doutorado tiveram oportunidade de mostrar ao público suas pesquisas, projetos, e a importância delas para promoção do bem estar da comunidade. O Projeto de Popularização da Geotecnia Ambiental foi selecionado para apresentação e premiado pelo festival. Em breve será promovido um podcast pela Dragões de Garagem, onde o trabalho será discutido mais detalhadamente. O canal está disponível na plataforma Spotify. Além disso, você vai poder conferir de perto o progresso das oficinas através do nosso blog, Facebook e Instagram!



Nota:

Gostaríamos de ressaltar aqui a importância das Instituições Federais de Ensino Superior. Além de formar profissionais altamente qualificados ao promover ensino de qualidade, elas possuem grande potencial de amenizar as desigualdades, pois permitem o ingresso e permanência de alunos em situação de vulnerabilidade econômica/social aos cursos de graduação.

Estas Instituições também assimilam seu papel social de difundir o conhecimento a fim de modificar a vida dos brasileiros. Isto se evidencia pelos investimentos feitos para que projetos como o reportado nessa matéria aconteçam no país.


imagem 6: alunos assistidos pelo projeto de educação ambiental

Fontes:

Imagens:

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram