Propriedades dos Minerais

Você sabe como identificar um mineral?

Todo mineral possui propriedades que possibilitam sua identificação. Essas propriedades se dividem em 4 grupos. Nesse post iremos abordar esses grupos e quais propriedades estão inseridas em cada um.




Vamos começar pelo grupo com maior quantidade de propriedades, o grupo das propriedades físicas. Nesse grupo, temos 8 propriedades. São elas: dureza, traço, clivagem, fratura, tenacidade, magnetismo, flexibilidade e peso específico.


1) Dureza: Essa propriedade está relacionada com a resistência de um mineral ser riscado. Ela é representada por uma escala, denominada Escala de Mohs, que determina de forma relativa, a dureza de cada mineral.


Escala de Mohs (dureza relativa)

2) Traço: É a propriedade que o mineral tem de deixar um risco com cor quando friccionado contra uma superfície não polida de porcelana branca. É uma propriedade fácil de ser analisada e, portanto, de grande importância na identificação de minerais. Alguns exemplos são: hematita, que possui um traço castanho-avermelhado e a magnetita que possui um traço preto.



Imagem 1: Hematita (à esquerda) e magnetita (à direita) e seus traços.


3) Clivagem: Propriedade que alguns minerais têm de se partirem em planos. Pode ocorrer em 1, 2 ou 3 planos. Os exemplos mais comuns são: a mica (clivagem em 1D) e a calcita (clivagem em 3D).



Imagem 2: Mica muscovita: clivagem em 1 plano.

Imagem 3: Calcita: clivagem em 3 planos.

4) Fratura: Propriedade que alguns minerais têm de se partirem em planos irregulares ao invés de planos de clivagem.


Imagem 4: O quartzo é um mineral que apresenta fratura.


5) Tenacidade: Essa propriedade está relacionada com a resistência ao choque de um martelo ou ao corte de uma lâmina. Dentro dessa propriedade os minerais podem ser divididos em:


* Quebradiços ou friáveis: podem ser quebrados ou levados ao pó com facilidade. Exemplo: calcita.


Imagem 5: Calcita: mineral friável.


* Sécteis: podem ser cortados por uma lâmina. Exemplo: gipsita


Imagem 6: Gipsita: mineral séctil

* Maleáveis: podem ser reduzidos à lâminas. Exemplo: ouro.


Imagem 7: Ouro: mineral maleável

6) Magnetismo: Propriedade de ser atraído por ímãs. O principal mineral que possui essa propriedade é a magnetita.


Imagem 8: Magnetita atraída por ímã.

7) Flexibilidade: Propriedade relacionada à capacidade que o mineral têm de sofrer deformações. Essas deformações podem ser:


* Elásticas: a deformação deixa de existir quando o esforço é retirado. Exemplo: Mica.


Imagem 9: Mica biotita: mineral elástico

*Plásticas: a deformação permanece mesmo após o esforço ser cessado. Exemplo: Talco.


Imagem 10: Talco: mineral plástico

8) Peso específico: É a relação entre o peso do mineral e o peso de igual volume de água destilada a 4°C.


No grupo das propriedades químicas, uma se destaca: a efervescência. Ela consiste na reação do mineral com algum tipo de ácido. O principal exemplo é a calcita que efervesce em contato com o ácido clorídrico. Nesse caso, a reação química que ocorre é a seguinte:

CaCO3 + 2 HCl → CaCl2 + H2O + CO2


Dentro das propriedades ópticas temos:

1) Brilho: É o aspecto da reflexão da luz na superfície do mineral. Pode ser:


*Metálico: exemplo: Pirita


Imagem 11: Pirita: mineral com brilho metálico.

*Não-metálico: exemplos: topázio, mica.



Imagem 12: Mica muscovita


Imagem 13: Topázio Imperial


2) Cor: Deve ser observada em uma fratura recente. A exposição ao ar pode formar películas que alteram a cor do mineral. Existem, também, minerais que apresentam diversas cores, como por exemplo, o quartzo.



Imagem 14: Quartzo róseo

Imagem 15: Quartzo hialino


Por fim, dentro do grupo das propriedades morfológicas, analisamos o hábito dos minerais. O hábito de um mineral é a maneira mais frequente com que um mineral se apresenta. Alguns exemplos são: a mica com hábito de placas tabulares e a pirita com hábito cúbico.



O conhecimento destas propriedades é de suma importância, visto que com frequência são suficientes para identificarmos os minerais, e pela facilidade de avaliarmos cada uma delas, são amplamente empregadas no reconhecimento de minerais no campo e em laboratório.




Fontes: RIGHI, Júlia. Minerais: definição, origem, classificação e propriedades. 82 slides.

* Todas as imagens são fotografias de minerais do Laboratório de Geologia da Universidade Federal de Juiz de Fora.



89 visualizações
  • Facebook
  • Instagram