Transporte de Contaminantes

Estamos de volta! E viemos falar de um tema muito importante na parte de Geotecnia Ambiental, o transporte de contaminante nos solos.




Figura 1 – Transporte de contaminantes nos solos e águas subterrâneas.

A contaminação do solo é a principal causa da deterioração das águas subterrâneas, seja através da aplicação de fertilizantes, lodo de estação de tratamento de esgoto, disposição de resíduos, entre outros. A figura abaixo ilustra as principais fontes de contaminação em 2011, no Brasil. Os processos de contaminação no solo ocorrem de forma lenta e geralmente sem consequências imediatas trágicas, porém a longo prazo pode ter efeitos sérios.



Figura 2 – Fontes de contaminação de solos e águas.


O conhecimento sobre os mecanismos fundamentais do transporte de poluentes em solos torna-se cada vez mais importante para o aperfeiçoamento dos projetos de aterros sanitários, diagnósticos de contaminação, remediação de áreas contaminadas e avaliação do monitoramento das obras realizadas.

O transporte de massa possui 3 fatores principais, sendo essas a substância contaminante, o meio poroso e as condições ambientais.

Os principais mecanismos envolvidos no transporte de um soluto em um meio poroso são:

  • Advecção - transporte de contaminantes devido ao processo de fluxo de água no solo, sem alterar a concentração do poluente.

  • Difusão Molecular - processo no qual o poluente é transportado (diluído) mesmo sem velocidade do fluido, alterando sua concentração.

  • Dispersão Mecânica – quando a substância percorre uma distância com a velocidade média da água e além disso se espalha.

  • Os processos de Difusão Molecular e Dispersão Mecânica se combinam para definir o coeficiente de DISPERSÃO HIDRODINÂMICA.

Por causa do efeito da dispersão hidrodinâmica, os poluentes vão se espalhando à medida que se movem pelo subsolo, e volumes maiores vão sendo atingidos pelos poluentes a jusante da fonte (Figura 3).



Figura 3 – Pluma de contaminação de uma área de disposição de resíduos.


A previsão da pluma que eventualmente se formará em casos de acidentes, é também fundamental para a avaliação do risco de implantação de empreendimentos que utilizem ou produzam poluentes. A modelagem matemática é uma importante ferramenta para avaliar o avanço de pluma de contaminação, em função da interação solo-contaminante (Figura 4).


Figura 4 – Pluma de contaminação a partir da infiltração de efluente industrial.


Nos próximos posts falaremos sobre as técnicas de remediação que podem ser utilizadas para descontaminar os solos e água subterrâneas!

40 visualizações
  • Facebook
  • Instagram